FED, Copom, seu Negócio e os Swaps de Juros na retomada econômica com inflação

Damke News

Nos EUA, o Federal Reserve (#FED) optou pela manutenção da taxa de #juros no intervalo entre zero e 0,25 por cento. Por aqui o #Copom elevou a Selic em 0,75 ponto percentual que agora encontra-se em 4,25 por cento ao ano.

Estas decisões estão alinhadas com o que era esperado pelo mercado. Entretanto, os comunicados de ambas as instituições indicam uma postura “hawkish”.  Termo derivado hawk (falcão em inglês) e utilizado para designar a conduta adotada pela autoridade monetária orientada por um controle maior da inflação e taxas de juros mais altas. O seu contraponto é uma postura “dovish”, de dove (pombo em inglês).

Em conjunto com a política monetária, a vacinação contribuiu para conter a disseminação da #covid-19, promovendo um avanço positivo acima das expectativas do mercado de trabalho e da atividade econômica.  Diante deste cenário, o FED antecipou o aumento da taxa de juros, considerando agora que deve realizar duas elevações até o final de 2023 ante as projeções anteriores que indicavam 2024.

O Copom, por sua vez, na atualização do cenário básico do seu comunicado, considera que no cenário externo os estímulos econômicos promovidos pelos países desenvolvidos são responsáveis pela forte recuperação da atividade e que, por conta dos níveis de ociosidade, devem permanecer por mais tempo.  Contudo, mencionou as incertezas dos riscos da #inflação sobre os países emergentes.

A pressão inflacionária é um fator de atenção pois também se encontra muito maior do que o esperado, especialmente nos preços dos bens industriais que, em conjunto com a lenta normalização da oferta, a resiliência da demanda e os impactos dos riscos da deterioração do cenário hídrico sobre as tarifas energéticas, são responsáveis pela manutenção da inflação alta no curto prazo.

Neste contexto, empresas que fazem #swap trocando taxas de #juros em #dólar por percentual do #CDI precisam ficar atentas a possíveis altas de juros e não aceitar percentuais de CDI muito elevados em sua ponta passiva no swap. Isso é comum em empresas importadoras, que tomam Finimp (Financiamento a Importação em moeda estrangeira) e, por não terem recebíveis dolarizados e para mitigar o risco de variação cambial, fazem swap para CDI.

Os swaps cambiais e de juros são precificados de acordo com as #curvas de #futuros na #B3 e, em tempos de juros baixos, levaram muitas empresas a aceitar passivos (nos swaps e nos empréstimos) com percentuais do CDI tais como 150 ou 180%. Porém, isso pode levar a custos muito altos com o aumento das taxas de juros.

Portanto, esta é uma boa hora para tomar dívidas ou fazer swaps pré-fixados em Reais, mitigando o risco de variação de taxa de juros de seu negócio e trazendo mais previsibilidade aos seus custos e despesas financeiras.

Acompanhe a curva de juros DI na B3 neste link

Vale comentar que também se pode fazer #swap de #IPCA, mitigando o impacto adverso da inflação sobre o seu contas a pagar ou dívidas atreladas a este indicador.

Para saber mais a respeito de #swaps e como mitigar movimentos adversos de #juros e #inflação sobre afetar seu #negócio, seu #caixa e seu #resultado, fale com a Damke em berenice@damkeconsultoria.com.br

#DamkeConsultoria #DamkeNoticias

Fonte:

– Federal Open Market Committee – Link

– Comunicado da 239ª Reunião do Copom – Copom eleva a taxa Selic para 4,25% a.a. – Link

 

 

Compartilhe

Últimos artigos

Saiba mais sobre a Damke

Cadastre-se e fique por dentro das próximas news